Após confusão, Vasco vai limitar acesso à social para jogo contra o Sport

[dfads params=’groups=587′]

A confusão na social de São Januário após a partida contra o Corinthians gerou reação rápida da diretoria do Vasco. Para o duelo com o Sport, neste sábado, haverá uma limitação na entrada no setor: apenas sócios serão admitidos, sem possibilidade de levar convidados, como vinha acontecendo.

[dfads params=’groups=588′]

A medida da diretoria é para tentar evitar novos incidentes. Depois do jogo contra o Corinthians, torcedores xingaram o presidente Eurico Miranda, e houve reação. Uma confusão se formou com partidários do dirigente e seguranças, chegando até os arredores de São Januário (veja no vídeo acima).

Em vídeos divulgados nas redes sociais, algumas pessoas acusaram os seguranças de os terem agredido por causa dos xingamentos. Há relatos de que ao menos um torcedor foi parar no hospital.

[dfads params=’groups=587′]

– Os seguranças tentaram apartar a briga. Tem gente contra e a favor (do Eurico). Os stewards foram botando os caras para fora – disse Ricardo Vasconcellos, assessor da presidência do Vasco.

Partida contra o Corinthians teve confusão na arquibancada e na social de São Januário (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)Partida contra o Corinthians teve confusão na arquibancada e na social de São Januário (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)

Partida contra o Corinthians teve confusão na arquibancada e na social de São Januário (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)

[dfads params=’groups=588′]

Não é a primeira vez que há confusão na social. No ano passado, por exemplo, houve incidente envolvendo Eurico Brandão, filho de Eurico e atual vice-presidente de futebol. Em geral, os ânimos se acirram quando começam protestos contra o mandatário cruz-maltino e partidários da gestão reagem. A situação se agrava por 2017 ser um ano eleitoral no Vasco: em novembro os sócios escolherão o presidente do clube para o próximo triênio.

Segundo Ricardo Vasconcellos, a orientação aos seguranças é convidar a se retirar da social quem xingar os dirigentes do clube. No artigo 33 do estatuto do Vasco, sobre as obrigações dos sócios do clube, dois parágrafos versam sobre o assunto:

III – Respeitar os dirigentes ou representantes do Clube quando no exercício das respectivas funções, assim como os das entidades às quais este seja liado, mediata ou imediatamente.

[dfads params=’groups=588′]

IV – Atender as normas de educação moral cívica e desportista dentro das dependências do Clube, das Associações da mesma natureza e das Entidades referidas no item precedente.

Gepe critica

Apesar da confusão, não houve queixas na polícia. Duas pessoas agredidas evitaram o procedimento, por medo de represália do clube. Para o major Silvio Luiz, do Gepe (Grupamento Especial de Policiamento de Estádios), a situação em São Januário precisa melhorar com urgência. Oficialmente, o Vasco não quis comentar o assunto.

– Da nossa parte, o que estamos tentando fazer é conversar com o clube para que coloque seguranças qualificados que estejam lá para resolver o problema e não para criar tumulto maior. Cabe à gente adotar as medidas, se for o caso do clube sofrer punição…Não tem mais como continuar como está. Estão brigando entre eles. Está bastante complicado.

Eurico Miranda em sua sala, ao lado de Ricardo Vasconcellos: presidente foi alvo de protestos em São Januário (Foto: André Durão / GloboEsporte.com)Eurico Miranda em sua sala, ao lado de Ricardo Vasconcellos: presidente foi alvo de protestos em São Januário (Foto: André Durão / GloboEsporte.com)

Eurico Miranda em sua sala, ao lado de Ricardo Vasconcellos: presidente foi alvo de protestos em São Januário (Foto: André Durão / GloboEsporte.com)

Árbitro relata confusão na arquibancada; STJD de olho

Além da briga na social, houve também confusão na arquibancada. A partir do apito final, houve brigas e a polícia entrou em ação com cassetetes e muito gás de pimenta. Com o local ainda cheio, as pessoas começaram a correr tentando esconder os olhos, o que causou tumulto. Muitas mulheres e crianças choraram.

Um torcedor foi detido pela polícia e levado ao Jecrim, mas acabou liberado após assinar um termo circunstanciado. Na súmula, o árbitro Wagner Reway relatou o ocorrido. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) analisa o caso, e há a possibilidade de que ofereça denúncia até a próxima semana.

– Ao término do jogo, ocorreu um princípio de tumulto entre torcedores do Vasco, localizado ao lado oposto do banco de reservas. O policiamento agiu para controlar a confusão rapidamente. Segundo o comandante do policiamento Sr. Major Silvio, ao menos uma pessoa foi detida – escreveu o árbitro.

O Vasco volta a campo neste sábado, às 19h (de Brasília), em São Januário. A equipe enfrenta o Sport pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

Fonte: Globoeaporte.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *