Cinco razões para o perde e ganha do Vasco

[dfads params=’groups=587′]

Tem sido assim desde o início do Campeonato Brasileiro. Em uma rodada, o Vasco ganha. Na seguinte, perde. Depois, vence de novo. Quando parece que vai engrenar, nova derrota. A sina cruz-maltina só não aconteceu quando o time bateu Bahia e Fluminense em sequência em São Januário. Depois disso, a equipe de Milton Mendes sofreu para manter a regularidade – nesta quarta, perdeu para o Botafogo por 3 a 1 (veja os melhores momentos no vídeo acima).
O que explica a oscilação do Vasco no Brasileirão? Não que a campanha seja ruim: os 12 pontos conquistados em 27 disputados dão um aproveitamento de 44,4%. Mas, se o Vasco quiser atingir o objetivo traçado pelo presidente Eurico Miranda, de brigar por vaga na Libertadores, precisará encontrar regularidade. Abaixo cinco razões:
[dfads params=’groups=588′]
1- Falta de continuidade
O jogo contra o Botafogo foi o primeiro no Brasileiro em que o Vasco repetiu o mesmo time da rodada anterior. Antes, Milton havia optado por adaptar a escalação de acordo com as nuances de cada adversário, especialmente fora de casa. Isso não deu certo: a equipe ainda não pontuou longe de São Januário. Por conta destas alterações, não encontrou maior padrão – sofre com a falta de equilíbrio entre defesa e ataque, provavelmente a principal causa desta oscilação.
– O que pode ser importante são as características dos jogadores que podem trazer o equilíbrio. Mudança de sistema de jogo dentro e fora de casa nós chegamos a conclusão e mudamos nossa estratégia. Temos nosso time-modelo e depois vamos alinhando uma coisa ou outra, até porque não temos tido tempo de trabalho, o que não é desculpa – analisou o técnico Milton Mendes.
[dfads params=’groups=587′]
2- A tabela
O início de campeonato do Vasco tem sido farto em jogos no Rio de Janeiro: até agora, foram seis – contando o clássico com o Botafogo no estádio Nilton Santos – de nove. Isso permite à equipe se recuperar rapidamente em casa após uma derrota fora.
As viagens, entretanto, foram duras: contra Palmeiras e Grêmio, dois candidatos ao título, e Chapecoense, sempre difícil na Arena Condá. No próximo domingo, oportunidade de ouro para se levantar do revés desta quarta: pega o Atlético-GO em São Januário.

3- Fabuloso
Milton Mendes montou um planejamento para contar com Luis Fabiano nos jogos em casa. O atacante foi poupado contra Grêmio e Chapecoense, fora do Rio, e sua ausência foi sentida pelos companheiros. Sem o artilheiro do time no Brasileiro – cinco gols em sete partidas -, o Vasco perde muito e não consegue uma sequência.
Sequência do Vasco no Brasileiro
Time tem 44,4% de aproveitamento
Pontos conquistados
Palmeiras
Bahia
Fluminense
Grêmio
Corinthians
Sport
Chapecoense
Avaí
Botafogo
0
1
2
3
4
4- Atenção
Este foi o terceiro jogo em que o Vasco tomou um gol nos primeiros minutos de jogo. Antes, havia sofrido contra Palmeiras e Corinthians. A falta de atenção no início tem provocado mudanças na estratégia do time, que entra em campo montado para outro tipo de duelo.
– É muito ruim sairmos atrás do marcador, dificulta a estratégia. Mas também vemos que o time tem poder de reação. Temos que nos equilibrar, ter esse entendimento de entrarmos mais ligados. É um ponto interessante a ser pensado – admitiu Milton.
[dfads params=’groups=588′]
5- Defesa mais vazada
O Vasco levou 20 gols em nove jogos – é a defesa mais vazada do Brasileirão. Cinco foram de pênaltis, mas o alto número mostra a inconsistência do setor, muito em conta da já citada falta de continuidade no padrão tático do time.
Milton montou a equipe com três volantes, flertou com um 3-6-1, mas decidiu apostar no 4-2-3-1, mais ofensivo, nas últimas partidas. Sem resolver o problema da proteção, terá dificuldade para encontrar regularidade.
As indormações são do Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *