Cristóvão quer usar jovens da base em 2017; veja desempenho das promessas do Vasco

A receita do Vasco para montar um time competitivo em 2017 vai passar pela mistura de jogadores mais experientes e promessas da base, como disse Cristóvão Borges em sua apresentação oficial. O treinador mostrou-se receptivo utilizar os talentos criados em São Januário, e a expectativa no clube é que eles estejam mais maduros após um ano de mais vivência entre os profissionais.

– Alguns já estão nos profissionais, jogaram muitas partidas, outras menos. Com certeza vou dar continuidade, tem que aproveitar. Isso é muito importante, e o Vasco faz muito bem isso. A formação de um time vencedor sempre vai ser assim, misturar experientes com jovens. Já estão sendo revelados jogadores que a gente viu que tem condição, e vão provavelmente jogar na próxima temporada.

Em sua primeira passagem, Cristóvão foi responsável por lançar Luan entre os profissionais, fato lembrado pelo presidente Eurico Miranda durante a entrevista coletiva.

Em 2016, o Vasco iniciou a temporada com nove garotos no elenco. Destes, três foram emprestados – Matheus Índio, Kadu e Renato Kayser. Douglas surgiu no meio do ano e se firmou. Outros oscilaram entre o sub-20 e os profissionais.

Veja como foi o desempenho de cada um:

Douglas (volante, 18 anos)

Foi o principal destaque entre a garotada. Teve sua primeira chance em julho e não saiu mais do time. Atuou como volante e até aberto pela direita, além de ser convocado para a seleção brasileira sub-20. Ao todo, disputou 15 jogos e fez dois gols.

Alan Cardoso (lateral-esquerdo, 18 anos)

Começou o ano tímido, desceu para os juniores, mas caiu nas graças de Jorginho na reta final da temporada. Com boas atuações, superou Henrique na hierarquia da lateral esquerda e virou sombra para Julio Cesar. Participou de 10 partidas.

Evander (meia, 18 anos)

Talvez o nome mais badalado entre todos, passou o ano entre os profissionais e o sub-20. Nos juniores, foi um dos destaques do time. Na equipe principal, alternou lampejos de qualidade, mas não se firmou. Atuou 16 vezes e não balançou as redes.

Caio Monteiro (atacante, 19 anos)

Convocado com frequência para a seleção sub-20, foi atrapalhado por lesões e perdeu a reta final da Série B. Devido a estes dois fatores, não foi tão utilizado. Em 17 partidas, marcou dois gols.

Mateus Pet (meia, 18 anos)

Era a principal promessa no começo do ano. Começou o Campeonato Carioca como titular, mas, após três partidas sem tanto brilho, deixou o time e não teve mais oportunidades. Atuou com frequência nos juniores, mas uma fratura no pé atrapalhou seu fim de temporada. Em cinco jogos, não fez gols.

Andrey (volante, 18 anos)

Outro badalado, pouco apareceu e passou a maior parte do ano nos juniores. Foi promovido no fim da temporada para cobrir a ausência do lesionado Marcelo Mattos, mas não teve oportunidades. Participou de apenas dois jogos, sem gols.

Gabriel Félix (goleiro, 21 anos)

É o terceiro goleiro do elenco desde abril, quando Diogo Silva deixou o clube. É visto como promissor, mas, devido às particularidades da posição, deve demorar para ter oportunidades. Não atuou em 2016.

Fonte: GloboEsporte.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *