Dossiê do MP liga Eurico a organizada do Vasco envolvida em guerra; Facção ganhou até camarote em São Januário

[dfads params=’groups=587′]

A relação da atual gestão do Vasco com a principal organizada do clube, Força Jovem, é umbilical ao atual mandato do presidente Eurico Miranda. De acordo com um extenso relatório que consta em processo judicial contra a facção e ao qual o ESPN.com.br teve acesso, uma semana antes de ser eleito em 2014, o dirigente cedeu transporte para membros da torcida irem a um evento que terminou com pancadaria, uso de paus, pedras, barras de ferro e armas de fogo. A relação se mantém estreita desde então. É o que se pode concluir pelas fotos postadas pelos líderes da organizada no último sábado. No dia do jogo que terminou em pancadaria e morte, seus integrantes postavam fotos de dentro do estádio. Minutos antes da ações de vandalismo no estádio, a Força Jovem comemorava a inauguração de um “camarote” nas dependências do estádio, num flagrante descumprimento do estabelecido pela Justiça que a proibiu de frequentar o local, com a conivência da instituição Vasco da Gama.
[dfads params=’groups=588′]
O clube nega que tenha cedido camarote à torcida suspensa. Mas a legenda da foto, modificada nesta segunda-feira, não deixa dúvidas: era a estreia do local. O print a seguir foi feito no domingo e nele a frase: “Inauguração do camarote da FJV”. Já na segunda-feira, o texto era diferente: “Estádio São Januário”.

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Camarote da Força Jovem inaugurado no dia do jogo contra o Flamengo
Camarote da Força Jovem inaugurado no dia do jogo contra o Flamengo

A organizada está proibida de frequentar estádios desde 2014. Em janeiro deste ano, o Juizado Especial do Torcedor, na Ilha do Governador, aumentou a multa por descumprimento de R$ 30 mil para R$ 50 mil por integrante flagrado em descumprimento.
[dfads params=’groups=587′]
“Percebo que os limites fixados na decisão anterior já não são suficientes à coibir as atitudes nefastas dessa grei. Há real, possível e provável risco à ordem pública e ao respeito à decisão anterior de afastamento”, sentenciou o juiz Marcello Rubioli.

As pessoas que aparecem nas fotos dos camarotes são citadas ao longo de todo o processo, mas não estariam impedidas de pessoalmente frequentar o estádio. Segundo informam em seus perfis nas redes, alguns são sócios do clube. No entanto, pelos mesmos perfis e com informações de membros da própria organizada e da PM todos participam ativamente da facção, sendo, inclusive, líderes da torcida.
[dfads params=’groups=588′]
No processo que culminou com a punição, o MP juntou um documento com mais de 400 páginas, ao qual chama de “Dossiê Força Jovem”. Nele, narra dezenas de atos de violência praticados pela torcida desde 2013. A investigação mostra que a eleição de Eurico Miranda provocou um racha dentro da organização, entre aqueles que apoiavam o presidente e recebiam benefícios e aqueles que eram contrários ao então candidato.

“Chegando ao estádio, foram recebidos pelo senhor Eurico Miranda, que disponibilizou uma VW Kombi e uma van para a condução dos torcedores até o bairro da Tijuca. Instantes após a chegada desses torcedores, um outro grupo da Força Jovem denominado ‘oposição’ chegou ao local, dando início ao confronto”, diz trecho do documento juntado aos autos, pela Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro.
[dfads params=’groups=588′]
Segundo testemunhas, mais de 150 pessoas fecharam a rua Haddock Lobo, na Tijuca. Houve troca de tiros, facadas e agressões com barras de ferro. Seis pessoas foram detidas e encaminhadas à 17ª DP (São Cristóvão).

“Chegou um grupo de torcedores da Força Jovem do Vasco em direção ao clube da Vila da Feira quando 10 torcedores vindos da Rua Barão de Ubá atacaram esses torcedores com paus, pedras, ferros, dando início a confronto generalizado, inclusive com uso de arma de fogo”, contou à polícia um guardador de carros que presenciou o fato.

REPRODUÇÃO/ESPN

Trecho de dossiê do MP sobre organizada. Segundo investigação, Eurico contribuiu com transporte para organizada brigar com oposição em período eleitoral
Trecho de dossiê do MP sobre organizada. Segundo investigação, Eurico contribuiu com transporte para organizada brigar com oposição em período eleitoral

A briga aconteceu uma semana antes da eleição para presidência do clube. No dia do pleito, integrantes da organizada envolvida nestes atos, com colaboração do então candidato Eurico Miranda, estavam no local da votação. A oposição alegou coação e colocou em suspeita a lisura do processo à época.
[dfads params=’groups=1322′]
O dossiê também traz diversos outros documentos, como termo de acordo entre alas de liderança da Força Jovem, de oposição e situação, prometendo fim de divergências internas, o que sabidamente, não aconteceu.

Também estão no processo ações civis públicas contra a torcida, dezenas de boletins de ocorrência mencionando membros da diretoria por desobediência às ordens judiciais.

Veja abaixo, as perguntas feitas pela reportagem e o posicionamento do clube.
[dfads params=’groups=1322′]
– Em investigação da PM e do MP, à qual tivemos acesso, há informações de que em 2014, durante o processo eleitoral, o atual presidente forneceu transporte (kombi) para integrantes de organizadas (Força Jovem) se dirigirem para confrontos armados. O que o clube diz a respeito?

Resposta: Mentira, desrespeito, afirmação absurda.

– É prática do clube fornecer transporte ou qual outro benefício às organizadas?

Resposta: Não fornecemos nada. Há um número limitado de ingressos na Categoria Sócio Torcida a 10 reais. Nomes cadastrados e de várias torcidas. Isso foi anunciado publicamente pelo Vasco. Não damos nada.

– Temos fotos que mostram integrantes da Força Jovem, torcida proibida de ir ao estádio pelo MP, comemorando no último sábado (jogo contra o Flamengo) a inauguração de um camarote em São Januário. O clube confirma a existência desse camarote?
[dfads params=’groups=1322′]
Resposta: Nenhuma autorização foi dada e estamos apurando se houve invasão ou alguém com camarote permitiu.

– Não acha que é uma medida que vai contra ao estabelecido pelo MP?

Resposta:  Como anteriormente respondido não tomamos medida de ceder nada.

A reportagem tentou contato com os advogados da Força Jovem, mas não conseguiu encontrá-los.

Fonte: ESPN.COM
[dfads params=’groups=1322′]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *