Grupo político que assume o Vasco é conhecido nos bastidores do poder em Brasília

[dfads params=’groups=587′]

Grupo de Alexandre Campello festeja a vitória do novo presidente. Fpto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

O grupo político que chega ao poder no Vasco ao lado do presidente e médico ortopedista Alexandre Campello tem alguns personagens conhecidos nos bastidores da política em Brasília. Alguns deles, inclusive, têm ligações com pelo menos duas badaladas siglas: o Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

Primeiro vice-presidente geral, Elói Ferreira de Araújo foi ministro tampão da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Social no governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Assumiu o cargo em 2010, após a saída de Edson Santos — que deixou a pasta para se candidatar a deputado. Elói ocupou a pasta até o fim do mandato de Lula.
[dfads params=’groups=587′]
[dfads params=’groups=1322′]
Na gestão de Dilma Rousseff, o primeiro vice-presidente do Vasco assumiu a Fundação Cultural Palmares, entidade pública vinculada ao Ministério da Cultura. No governo de Sergio Cabral no Rio de Janeiro, ocupou cargo de secretário estadual de Direitos Humanos. Em janeiro do ano passado, foi nomeado pelo prefeito Marcelo Crivella chefe de gabinete da Secretaria de Cultura do Rio.

Ligado ao PCdoB e ao PT, Elói Ferreira de Araújo desembarcou em Brasília em 1987 para chefiar o gabinete de Edmílson Valentim — eleito, aos 23 anos, o mais jovem deputado federal constituinte. Coincidência ou não, Edmílson Valentim será o presidente do Conselho Fiscal do Vasco no próximo triênio.

Eleito presidente do Conselho Deliberativo, Roberto Monteiro Soares tentou a reeleição como vereador no Rio em 2016. Fez parte da coligação PT-PCdoB. Teve 8.614 votos, quantidade necessária apenas para torná-lo suplente. Também tem no currículo o status de membro das comissões da Copa de 2014. Foi presidente da torcida organizada Força Jovem de 1989 a 1991 e em 1993.

Braço direito do ministro do Esporte Aldo Rebelo (PCdoB) nos preparativos do Brasil para receber a Copa de 2014, Luís Fernandes chegou a ser cogitado como um dos possíveis vice-presidentes do mandatário eleito Alexandre Campello. Porém, a proximidade com Eurico Miranda deve deixá-lo — ao menos por enquanto — fora da nova cúpula cruzmaltina.
[dfads params=’groups=588′]
[dfads params=’groups=1322′]
Ex-presidente do Conselho Deliberativo do Vasco, Luis Fernandes estava cotado para ser um dos vices de Alexandre Campello na eleição da última sexta-feira. Foi secretário-executivo do Ministério do Esporte e um dos principais interlocutores do governo Lula na relação tensa com a Fifa nos preparativos para a Copa de 2014. Quando Aldo Rebelo deixou o Ministério do Esporte para dar lugar a George Hilton e assumiu o Ministério de Ciência e Tecnologia, fez questão de levar Luís Fernandes a tiracolo. A ver as cenas dos próximos capítulos.

Fonte: Blog Drible de Corpo – Correio Braziliense

Instale o Aplicativo do Vasco e fique por dentro de todas as notícias do Gigante da Colina


[dfads params=’groups=587′]
[dfads params=’groups=1322′]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *