Jean defende Milton e torce por retorno de Nenê: “Braços abertos”

[dfads params=’groups=587′]

Responsável por separar Rodrigo e Milton Mendes durante a confusão no gramado do Moisés Lucarelli, em Campinas, o volante Jean explicou nesta terça-feira sua reação após os empurrões do zagueiro no treinador. O jogador admitiu que demorou para tomar uma atitude, mas afirmou que tomou um susto com o ocorrido.

– Na hora que começou, foi algo que me deixou assustado. Quando cheguei ao Vasco, o Rodrigo foi um cara que me apresentou muito bem. Cheguei para cumprimentar e agradecê-lo por tudo. Quando estava quase se despedindo o Milton chegou para chamar a gente. Quem vai esperar isso acontecer? Olhei para assustado, olhei para o Paulo Vitor, ficamos em transe. Quando o Rodrigo empurrou de novo, o Paulo Vitor esboçou reação, e eu saí em defesa. Depois pedi perdão ao Milton porque minha reação pode mesmo ter sido tardia – disse Jean.

[dfads params=’groups=587′]
[dfads params=’groups=1322′]

Segundo o volante, a demora para reagir dos jogadores não tem nada a ver com os problemas do elenco com o treinador. Ele reconheceu que alguns atletas demoraram para se adaptar ao estilo de Milton, mas reiterou que o grupo tem confiança no técnico.

– O Milton sabe a maneira de cobrar cada jogador para extrair o melhor. Para alguns jogadores isso é fácil de conciliar. Para mim talvez seja mais fácil porque já passei por treinador assim. Alguns jogadores demoraram a se adaptar? Sim. Mas hoje estamos adaptados. O Milton tem nossa total confiança.

Confusão entre Rodrigo e técnico Milton Mendes roubam cena no jogo da Ponte Preta

Confusão entre Rodrigo e técnico Milton Mendes roubam cena no jogo da Ponte Preta

[dfads params=’groups=588′]
[dfads params=’groups=1322′]

Jean revelou que houve três reuniões no último fim de semana. A primeira, na sexta, com o presidente Eurico Miranda, que cobrou os jogadores. No sábado, o elenco se reuniu entre si para cobrança interna. No mesmo dia, em Campinas, houve uma conversa com Milton Mendes.

– Reunimos todos os jogadores, mas juntaram vários temas que foram resolvidos. O caso do Jomar foi resolvido, o do Madson, do Luis Fabiano. Não há complô contra o treinador. Por isso, a gente se reuniu no sábado. Tem algumas coisas erradas, não dá para aceitar tomar gol no começo do jogo, chegar atrasado, não se alimentar direito, não tomar o lanche pós-jogo da nutricionista. Nos cobramos entre nós mesmos. Quando chegamos em Campinas, Milton reuniu todos nós em igualdade. Sentamos todos juntos e conversamos a conversar.

Torcida pela volta de Nenê

[dfads params=’groups=588′]

Amigo de Nenê, Jean indicou que não haverá problema para que o meia retorne. Segundo o vice-presidente de futebol, Eurico Brandão, o veterano conversará com Milton Mendes e, depois, com o elenco para que possa ser reintegrado.

Se depender de Jean, a volta de Nenê é certa. Ele lembrou que é amigo do meia fora de campo.

– Nosso grupo é muito aberto. Não tem dificuldade em aceitar as coisas. O primeiro passo foi dado, agora cabe ao Milton expor o que espera do Nenê. Sentimos o peso em relação à experiência dele, à qualidade técnica. Ele é aceito não só por nós, mas pela diretoria, pelo treinador, pelo torcedor. Cada pessoa tem direito a uma segunda chance. Que tudo se resolva e ele consiga se resolver com o Milton para, quando vier para nós, conversamos sobre isso. O grupo inteiro vai estar de braços abertos para ele.

A reunião de Nenê com Milton acontece nesta quarta-feira. Há a possibilidade de que ele fale com o elenco no mesmo dia. O Vasco volta a treinar pela manhã, em São Januário.

Fonte: Globoesporte.com

[dfads params=’groups=587′]
[dfads params=’groups=1322′]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *