Sem propostas, Nenê perde espaço no Vasco, e rescisão é possibilidade

[dfads params=’groups=587′]

situação de Nenê no Vasco se complicou ainda mais após este fim de semana. No sábado, encerrou-se o prazo pedido pelo jogador para trazer propostas à diretoria. Sem nenhuma oferta na mesa, ele seguirá treinando normalmente em São Januário com o elenco, mas o técnico Milton Mendes não deu qualquer sinal de que está disposto a usar o atleta. A rescisão do contrato, que havia sido pedida pelo meia, é uma possibilidade que cresce.

– O Nenê é um jogador que sempre foi utilizado por mim. Quando ele teve a sua quebra de forma, foi feito um trabalho à parte, ele voltou, voltou muito bem. Nesse momento, não tenho nada a dizer, quem pediu para sair foi ele. Eu não tenho nada a ver com isso. Essa pergunta você tem que fazer a ele. Eu sou treinador e uso quem quer jogar no Vasco – disse Milton após a vitória por 2 a 1 diante do Atlético-MG, em Belo Horizonte.

O treinador prosseguiu no assunto e fez questão de encher a bola da garotada que entrou em campo.

– Os meninos deram uma prova do que é ter vontade de estar no Vasco. Vou falar sobre os que eu tenho. Os outros casos, a direção provavelmente tomará as devidas posições. Estou à espera. Sou treinador, treino com o que tenho. Jogador que pede para não viajar, pede para não ir, não posso fazer nada. Não quer ir, não vai. Não vou falar mais sobre isso.

[dfads params=’groups=587′]
[dfads params=’groups=1322′]

Nenê treina no Vasco: jogador segue à disposição, mas está sem moral com Milton (Foto:  Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Nenê treina no Vasco: jogador segue à disposição, mas está sem moral com Milton (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

[dfads params=’groups=588′]

O triunfo diante do Galo, aliás, reforçou a posição de Milton. Sem Nenê, ele apostou nos meninos Paulinho, Mateus Vital e Paulo Vitor e foi recompensado. O primeiro marcou dois gols e brilhou na vitória. O momento no clube é de valorizar a base.

Nenê procurou a diretoria na última terça-feira, pedindo para não viajar para enfrentar o São Paulo na quarta porque queria deixar o clube. Ele requisitou a rescisão de contrato. Depois, disse que esperava receber propostas, mas nenhuma chegou até o momento.

Não foi a primeira vez que Nenê pediu para deixar o clube. Em outras duas ocasiões neste ano, em janeiro e maio, também não apresentou propostas à diretoria. Por isso, neste novo episódio, os dirigentes se mostraram reticentes quanto à possibilidade de saída.

[dfads params=’groups=588′]

O meio-campista tem contrato com o Vasco até o fim de 2018 e ganha cerca de R$ 400 mil por mês, desde que cumpra metas no contrato.

Fonte: Glboesporte.com

[dfads params=’groups=587′]
[dfads params=’groups=1322′]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *