Veja a análise tática de Grêmio x Vasco

[dfads params=’groups=587′]

Como Luis Fabiano, com 36 anos, já não é mais um garoto, Milton Mendes decidiu dar um descanso ao atacante e não o relacionou para a partida deste domingo contra o Grêmio, em Porto Alegre. Para seu lugar, escolheu Manga, mudando o jeito de jogar do time, que iniciou sem um camisa 9 de ofício. No intervalo, com desvantagem no placar, o treinador, sentindo falta de um homem de área, lançou Thalles, mas o centroavante não conseguiu ajudar o time a buscar o empate e, no fim, a equipe gaúcha conseguiu se impôr e saiu vitoriosa por 2 a 0.
[dfads params=’groups=588′]
Manga recebeu uma oportunidade entre os titulares após a atuação crucial na virada sobre o Fluminense, na rodada anterior. Ele, no entanto, não fez o papel de Fabuloso. Atuou mais pela ponta direita, enquanto Kelvin jogou mais centralizado. Com características diferentes e 10cm a menos de altura do que o veterano (1,75cm x 1,85cm), o atacante era mais um “falso 9” que um centroavante. Esta não foi a única alteração de Milton com relação ao time que venceu o o clássico. Yago Pikachu deu lugar ao volante Wellington, que fez sua estreia com a camisa vascaína.

– O Manga fez um gol espetacular no último jogo. Demos essa oportunidade – explicou Milton Mendes, em coletiva após a partida.

A entrada do recém-contratado Wellington, de características mais defensiva que Douglas, para fazer a linha de volantes com Jean, reforçou o poder de marcação do Vasco. Com isso, Milton apostou na habilidade e personalidade de Douglas e adiantou a jovem revelação para a função de armador, deslocando Mateus Vital, que fez esse papel nos últimos dois jogos, para atuar aberto pela esquerda. Com a defesa robusta e Kelvin, Manga e Mateus formando o ataque, Milton abdicava do atacante referência de área e apostava na velocidade de seu trio ofensivo nos contra-ataques.
[dfads params=’groups=587′]
– Existe sim camisa 9 bom, mas as pessoas acham que os modelos antigos precisam de modelo de área. Hoje abdicamos. Tivemos a infiltração do meia e a diagonal dos homens de lado – disse.

Formação do Vasco no 1º tempo:

Dono da casa, o Grêmio começou a partida tomando a iniciativa, mas foi o Vasco quem chegou com perigo primeiro, em duas ocasiões. Uma aos 10 minutos, em escanteio cobrado por Douglas e cabeceio de Paulão. A outra, um minuto depois, em chute de Manga após cruzamento de Mateus Vital. O Tricolor, porém, logo reassumiu o controle do jogo e, mesmo com dificuldades para furar a marcação vascaína, chegou ao gol aos 37 com Lucas Barrios, após pênalti de Wellington em Pedro Geromel em cobrança de escanteio.

Percebendo que a opção de atuar sem uma referência na área não fez efeito, e sem Luis Fabiano no banco, Milton voltou do intervalo com Thalles no lugar de Manga, com Kelvin passando a atuar mais aberto pela direita. Apesar de mais magro do que em sua última aparição no time, ainda no Campeonato Carioca, Thalles pouco acrescentou ao time, e as melhores jogadas do Vasco vieram pelos pés de Vital, pela esquerda.

Apesar do bom momento da equipe na partida, antes dos 20 minutos, Milton colocou Guilherme Costa e Nenê nos lugares de Mateus Vital e Jean, respectivamente. Guilherme assumiu a função na esquerda, enquanto Nenê passou a armar as jogadas. As mudanças também não surtiram efeito. O Grêmio retomou o domínio da partida e passou a pressionar.
[dfads params=’groups=588′]
– Levamos um gol e precisávamos mudar. Coloquei um atacante de ofício. Tentei voltar ao modelo original. Mudamos no intervalo e busquei uma variação. A primeira substituição foi para buscar um homem de área. A segunda, velocidade. A terceira, posse de bola e chute, que o Nenê tem muito bom. Tentamos de tudo, mas o Grêmio está muito forte.

Formação do Vasco após substituições:

A essa altura, o destaque positivo do Vasco era o setor defensivo. Com Paulão e Breno seguros na zaga, Gilberto e Henrique atentos nas laterais e Wellington e Jean protegendo a defesa, a retranca Cruz-Maltina fazia o Tricolor quebrar a cabeça para achar um espaço.

O time carioca só chegou com perigo mais uma vez aos 46, quando Nenê invadiu a área, mas simulou contato com Geromel e levou amarelo. No lance seguinte, o Tricolor gaúcho aproveitou o único cochilo do Vasco na partida para furar a sólida defesa e, após uma linda troca de passes, Luan selou a vitória.

– Vocês viram uma equipe com saúde, determinada.Os jogadores tentaram, estão de parabéns. Fizemos uma excelente partida. Os jogadores se dedicaram e honraram a camisa. Eles lutaram muito – exaltou Milton.

Fonte: GloboEsporte.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *